9º ano e Ens. Médio participam da Mostra Brasileira de Foguetes


O espaço sideral e seus mistérios sempre fascinaram a humanidade. Por extensão, as expedições a outros planetas, estação e sondas espaciais, satélites. Quem nunca montou ou quis montar um foguete, tentando lançá-lo de alguma forma? A Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), realizada paralelamente à Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA), propiciou essa experiência a um grupo de alunos do 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. Eles se somaram aos 150 mil estudantes de todo o país que também se inscreveram para a mostra.

Os liceístas tiveram a oportunidade de participar de oficinas no laboratório de Física com o professor Sérgio Henrique Douwens para a montagem dos foguetes, seguindo orientação dos organizadores da mostra para cada faixa etária. Divididos em equipes de até três alunos e com os foguetes feitos de garrafas pet e papelão já prontos, a etapa seguinte foi iniciar os testes de lançamento.

Uma prévia foi feita na escola, mas o lançamento oficial, gravado para ser inscrito na MOBFOG, foi realizado no estádio da Portuguesa Santista, gentilmente cedido por um dos dirigentes do clube.

Por ser uma olimpíada experimental, onde é preciso construir e lançar foguetes a partir de uma base de lançamento, na data para a gravação os estudantes estavam focados nos preparativos. Para que o experimento tivesse êxito, eles utilizaram conteúdos de física, matemática e até de engenharia aeroespacial.

Os foguetes, que utilizaram como combustível água e ar comprimido (Fund 2), mistura de vinagre e bicarbonato de sódio (Médio), tinham de ser lançados obliquamente, uma vez que o objetivo era obter o maior alcance horizontal possível.